- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Desalento 2018

Letra e musica de Jorge Fernando
Repertório do autor

Por mais que eu tente dar alento ao meu caminho
Por mais que eu teime em este peito sossegar
Quando anoitece fico só e então sózinho
A solidão não pára de me atormentar

Fala de mim, das minhas dores, do meu passado
Do que eu não posso apagar dentro de mim
Porque as memórias são a história, são o fado
Por mais que eu queira, não consigo dar-lhe fim

Pois sim
A vida não foi fácil para mim 

Eu sei que a vida me escolheu ao dar-me vida
Que não prescinde do que eu faço e do que eu sou
E que ao nascer trouxe consigo a fé devida
P'ra me arriscar neste caminho a que me dou

Mas a tristeza de me achar abandonado
Entre o que eu quero ser e aquilo que não sou
Encontra a paz quando me escondo num fado
Onde a minh'alma bem cedo se revelou