- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.525 LETRAS PUBLICADAS <> 2.572.800 VISITAS < > SETEMBRO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Fado Malhoa

José Galhardo / Frederico Valério 
Repertório de Amália 
-
Criação de Amália Rodrigues, constituindo a curta-metragem Fado Malhoa, realizada por 
Augusto Fraga em 1947, encenando filmicamente o famoso quadro de José Malhoa.
Informação de Francisco Mendes e Daniel Gouveia 
Livro *Poetas Populares do Fado-Canção* 
Alguém que Deus já lá tem
Pintor consagrado 
Que foi bem grande e nos dói 
Já ser do passado
Pintou numa tela 
Com arte e com vida 
A trova mais bela 
Da terra mais querida 

Subiu a um quarto que viu à luz do petróleo 
E fez o mais português dos quadros a óleo
Um Zé de samarra co'amante a seu lado
Com os dedos agarra
Percorre a guitarra e ali vê-se o fado

Faz rir a ideia de ouvir com os olhos, senhores 
Fará, mas não p'ra quem já o viu, mas em cores 
Há vozes de Alfama naquela pintura 
E a banza derrama canções de amargura 

Dali vos digo que ouvi a voz que se esmera 
O som dum faia banal, cantando a Severa 
Aquilo é bairrista, aquilo é Lisboa
Boémia e fadista
Aquilo é da artista, aquilo é Malhoa