- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Dá tempo ao tempo

António Campos / Joaquim Pimentel
Repertório de António Mourão

Nunca pensei /
Depois de tanta amizade
Ficasse tanta maldade /
Escondida no teu peito
Nunca pensei / Mas teu dia há-de chegar
E por certo hás-de pagar /
Por tanto mal que tens feito

Dá tempo ao tempo
Ri, enquanto tens vontade
Talvez um dia, a saudade

Não te deixe rir assim
Dá tempo ao tempo

Que o tempo corre e não cansa
E eu não perdi a esperança

De te ver chorar por mim

Pouco me importa /
O que dizes e o que pensas
Nem faço caso ás ofensas /
Que vives fazendo á toa
Tenho a certeza / Que esse teu riso atrevido
Há-de um dia ser vencido /
Porque o tempo não perdoa