- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Esse teu nome Lisboa

Mário Raínho / Carlos Dionísio
Repertório de Paulo Filipe

Confesso tinha saudade / Já, de ti minha Lisboa
Pra onde for sempre há-de / O teu nome vir à proa

À proa deste navio / Ao mar da minha lembrança
Convés de fio a pavio / Que percorro de criança

Lisboa, mulher-magia
De colinas à cabeça
Saia bordada a maresia
Ancas onde o olhar tropeça
Teus braços, ondas de mar
Gaivota, que sobrevoa
A minha alma, a cantar
Esse teu nome, Lisboa

Tuas veias são as ruas / Aonde corre enleado
Em noite de frias luas / O choro de tanto fado

Tanto fado, que recordas / Não só choro, mas festejo
Lisboa que quando acordas / 
Lavas sorrisos no Tejo