- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

O teu veneno

Tiago Torres da Silva / Casimiro Ramos *fado três bairros*
Repertório de Pedro Miguel d’Almeida

Não te vou pedir perdão
Por esconder a solidão
Debaixo do meu olhar
Nem peço que finjas dó
Ao saberes que fico só
No medo de te deixar

Se provei do teu veneno
É porque não te condeno / Pelo mal que me tens feito
Vou seguindo dia a dia
Mas já não tenho alegria / A transbordar do meu peito

Também não tenho tristeza
Tenho apenas a certeza / Desse amor que não pedi
Amando o teu corpo em vão
Vou chamando solidão / Ao que me resta de ti

Só condeno o teu amor
Que às vezes me faz supor / Que ‘inda posso ser feliz
Mas chorar não vale a pena
Se o teu amor me condena 7 Ao oposto do que diz