- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.266.500 VISITAS <> SETEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Novembro

Manuela de Freitas / Frederico de Brito *fado britinho*
Repertório de Pedro Moutinho

O que foi que aconteceu
E se o culpado fui eu
Não me consigo lembrar
Só me lembro que chovia
Nessa noite em que eu sabia
Que tu não ias voltar

Não me lembro que te esperei
Se toda a noite julguei / Ouvir teus passos na escada
E quando nasceu o dia
Só me lembro que chovia / Não me lembro de mais nada

Na carta que me escreveste
Não me lembro se disseste / Porque é que querias deixar-me
Se tinhas toda a razão
E eu não te pedi perdão / Já não consigo lembrar-me

Só me lembro que chovia
Que foi a noite mais fria / Daquele mês de novembro
Mas do dia em que partiste 
Da razão porque sou triste / Não me lembro, não me lembro