- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.305 LETRAS <> 2.180.000 VISITAS <> JUNHO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Destino

Alberto Janes / Diogo Clemente
Repertório de Carminho

Quando nasce uma pessoa
No livro destino faz-se
Uma história má ou boa
E a vida que teremos
Ali escrita e resolvida
Não somos nós que a escolhemos

Porque procuras esquecer o meu carinho
Se naquelas escrituras
Não è esse o teu caminho
Foges depois, sentes que o destino tonto
Resolveu que nós os dois
Entramos no mesmo conto

O caminho dos teus passos
Na vida e o meu carinho
Estão escritos nos mesmos traços
A verdade è conhecida
È que tu ès a metade
Metade da minha vida

Não sei porquê, na história dos nossos fados
Nem uma linha se lê que nos deixe separados
E se o dsetino já nor marcou esta sina
Ès meu desde pequenino, sou tua de pequenina