- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Flagrante

Maria do Rosário Pedreira / António Zambujo
Repertório de António Zambujo

Bem te avisei, meu amor
Que não podia dar certo
E era coisa de evitar
Como eu, devias supor
Que com gente ali tão perto
Alguém fosse reparar

Mas não... fizeste beicinho
E como numa promessa / Ficaste nua p’ra mim
Pedaço de mau caminho
Onde é que eu tinha a cabeça / Quando te disse que sim?

Embora tenhas jurado / Discreta permanecer
Já que não estávamos sós
Ouvindo na sala ao lado / Teus gemidos de prazer
Vieram saber de nós

Nem dei p’lo que aconteceu
Mas, mais veloz e mais esperta / Só te viram de raspão
Vergonha passei-a eu
Diante da porta aberta / Estava de calças na mão