- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Sete sílabas de chita

Tiago Torres da Silva / Fernando Alvim
Repertório de Hélder Moutinho

A noite tarda / Numa alma tão secreta
Que sem querer ficou à guarda / Do coração de um poeta

A noite sabe / Que talvez por ser do fado
Um dia acabo / Sem querer ter começado

A noite ri-se / E na sua timidez
Chega à velhice / E quer ser jovem mais uma vez

Silêncio... está a chegar a saudade
Silêncio... a minha alma sorri
Silêncio... sinto que a noite me invade
Quero abraçar a saudade
E depois morrer por ti

A noite agita / Uma quadra mal bordada
Sete sílabas de chita / P’ra cantar à desgarrada

A noite insiste / Numa rima tão modesta
Um verso triste / Que ela sabe que não presta

A noite ri-se / Dessa tua pequenez
Diz ser tolice / E faz o verso que ninguém fez