<>-----<>-----<> Existe um espaço de 20 segundos entre o começo do Fado e a sua identificação <>-----<>-----<>
Loading ...

5.915 LETRAS // 1.500.000 VISITAS // DEZEMBRO 2019

Rosa viúva

Tiago Torres da Silva / Pedro Jóia
Repertório de Rodrigo

A Rosa vive à janela
À espera não sei de quê
E quando passa por ela
A gente já mal a vê

Por trás daquela vidraça
Ela vai perdendo o viço
Mas a gente quando passa
Já nem sequer dá por isso

A rosa dançou à chuva num dia de tempestade
Em que o mar a fez viúva das ondas e da saudade
E nos dias de calor, quando à tardinha refresca
Ela lembra o seu amor que não vai voltar da pesca

A Rosa está quase cega
Das lágrimas traiçoeiras
Com que o seu coração rega
O vaso das sardinheiras

Por isso, vendo a lonjura
Que o seu olhar encontrou
Há gente que ainda jura
Que a Rosa nunca murchou

A Rosa disse-me um dia, que já nem vivia à espera
Pois na sua moradia nunca mais à primavera
A saudade foi ditosa, mas o destino murchou-me
De que adinata ser rosa, se ninguém sabe o meu nome