- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

A nova tendinha

Aníbal Nazaré / Carlos Lopes / Carlos Dias
Repertório de Hermínia Silva

Da Lisboa boémia e fadista
É canta e ri, gostou daqui vir beber
É alegre, rambóia e bairrista
E já ouvi até, que bebe p'ra esquecer

Vai um copo e outro copo e depois
E vão mais dois e bebe-se á toa
Eu já bebi, tu pagaste, eu paguei-te
Mas nada de leite
Que isso até me enjoa

Ó velha tendinha
Se o Rossio é meu
Tu és muito minha
Eu sou muito teu
Até causa embaraço
E até nos faz confusão
Em tão pouco espaço
Caber tanta tradição

Da tendinha uma Alfama surgia
Tão popular, da boémia e do pifão
Que começou a vir fidalguia
P'ra se encostar com o povo ao mesmo balcão

Os pinotas, boémios fadistas
E os artistas fidalgos até
Majestosas com ar de raínhas
Vinham fidalguinhas
P'ra ver como é