- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.525 LETRAS PUBLICADAS <> 2.572.800 VISITAS < > SETEMBRO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

É fado

Eduardo Damas / Manuel Paião
Repertório de Carlos Zel

Caminho pela rua á toa / Meus passos dou-os só p’ra ti
Procuro encobrir de mim / Que nunca, nunca mais te vi

E mesmo sem saber porquê / Eu vou ainda á tua rua
Na triste claridade / Eu vejo a sombra tua
Ali, junto de mim, dada p’la lua

Pensar ainda em ti... é fado
O dia em que te vi... foi fado
Meu caminho sem ti... é fado, é fado, é fado
Ver-te ainda voltar... é esperança
E a esperança do amor... não cansa
Passar a vida a esperar, ver a vida passar
Passado sem passado... é fado

Destino é o que Deus me deu / Vou passando p’la vida assim
Não sei se são ordens do céu / Só sei que tenho um fado em mim

Sou barco só no alto mar / Sózinho nesta imensidade
Sem rumo e sem destino / Escondendo a realidade
Eu caminho assim já, só p’ra saudade