- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.266.500 VISITAS <> SETEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Fado fado

Nito / Pedro Rodrigues
Repertório de Deolinda Rodriges

Ser fadista è ter no peito
Um coração contrafeito / E um poema de afeição
È cantar constantemente
O amor de toda a gente / Nos versos de uma canção

Em cada espaço de dor
È já saudade maior / O pranto que se adivinha
È porta-voz de ansiedade
Daquele que chegou tarde / E ficou de alma sozinha

Ó fado fado, este povo que te canta
Ó fado fado, vives na nossa garganta
Ó fado fado, das horas boas e más
Quanta alegria tu nos dás, ó fado fado


Se alguém anda amargurado
Busca o consolo no fado / Conta-lhe s penas da alma
O fado que ao fado narra
Vai dedilhar na guitarra / E o peito logo se acalma

Este fado que não passa
Canção-pátria, sol da raça / Onde houver um português
Todos sabemos cantá-lo
P'ra tanto basta escutá-lo / 
E repeti-lo outra vez