- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Alfama de Santo António

Armando Santos / Mauel Soares *fado manuel Soares*
Repertório de Nuno de Aguiar

Venham ver a velha Alfama
Dessa Moirama tão afamada
Venham ver esta Lisboa
De gente boa, de gente honrada

Santo António padroeiro
És o primeiro dos populares
Que em Junho, p’las noites quentes
Oferece ardentes, lindos cantares

Venham ver lindas pequenas
Belas morenas parecendo moiras
Há rodas, há bailaricos
Há manjericos e casadoiras

Qualquer pátio e viela
Qualquer janela está enfeitada
Mesas, vinho em canjirões
E há pregões de sardinha assada

Há cravos por todo o lado
E o nosso fado não está esquecido
É escutado com fervor
Com muito ardor, por nós tão querido

Venham ver a velha alfama
Dessa moirama tão afamada
Venham ver esta Lisboa
De gente boa, de gente honrada