- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Já não tens coração

Fernando Farinha / Casimiro Ramos
Repertório de Manuel de Almeida

Onde tens teu coração, meu amor
Que assim tanto me tortura
Será que o terás esquecido
Ou anda perdido à tua procura

Acompanho dia a dia, sem canseira
Todos os passos que dás
E ao passar à minha beira
Tu segues ligeira sem olhar

Tu já não tens coração 
A quem o deste não sei
Quis conquistá-lo p’ra mim
Procurei, mas no fim, não encontrei
Se outro homem to roubou
Há-de pagar-me a traição
Pois hei-de fazer-lhe ver
Que não posso viver sem o teu coração

Vê lá se o deste a alguém, que o levou
E brinca com ele, agora
Há quem junte corações aos montões
P’ra depois os deitar fora

Chamo p’lo teu coração, sem saber
Onde está, onde se esconde
A esperança diz-me que não
Pois teu coração já não me responde