- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ FEVEREIRO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Ó tempo volta p'ra trás

Eduardo Damas / Manuel Paião
Repertório de António Mourão 
-
Criação de António Mourão na revista *E viva o velho 
Teatro Maria Vitória 1965
Informação de Francisco Mendes e Daniel Gouveia 
Livro *Poetas Populares do Fado-Canção*
-
A Severa foi-se embora
E o tempo p'ra mim parou
O passado foi com ela
Para mim não mais voltou 


As horas p'ra mim são dias
As horas p'ra mim são dias
Os dias p'ra mim são anos
Recordação é saudade 

Recordação é saudade 
Saudade são desenganos

Ó tempo volta p'ra trás
Traz-me tudo o que eu perdi
Tem pena e dá-me a vida
A vida que eu já vivi
Ó tempo volta p'ra trás
Mata as minhas esperanças vãs
Vê que até o próprio sol v
Volta todas as manhãs 

Porque será que o passado
E o amor, são tão iguais
Porque será que o amor
Quando vai, não volta mais

Mas para mim, a Severa

Mas para mim, a Severa
É o eco dos meus passos
Eu tenho a saudade à espera

Eu tenho a saudade à espera
Que ela volte prós meus braços


No entanto, o original registado na S. E. C. T. P., no dia 5 de Setembro de 1967
é uma outra versão, nitidamente para ser cantada por mulher:

O meu amor foi-se embora
O tempo pra mim parou
Passado que vai com ele
Para mim não mais voltou

As horas p’ra mim são dias
As horas p’ra mim são dias
Os dias p’ra mim são anos
Recordação é saudade
Recordação é saudade
Saudades são desenganos

Ó tempo volta p’ra trás
Dá-me tudo o que eu perdi
Tem pena e dá-me a vida
A vida que eu já vivi
Ó tempo volta para trás
Mata as minhas esp’ranças vãs
Vê que até o próprio sol
Volta todas as manhãs


Porque será que o passado
E o amor são tão iguais
Porque será que o amor
Quando vai não volta mais

Mas para mim esse homem
Mas para mim esse homem
É o eco dos meus passos
E eu tenho a saudade à espera
E eu tenho a saudade à espera
Que ele volte p’rós os meus braços 


Se fossem contabilizadas as vezes que um êxito é passado na rádio, trauteado na rua
evocado em situações a-propósito, transformando-se em frases feitas ou ditos populares
que perduram no tempo, este enorme êxito de António Mourão alcançaria os primeiros lugares.