- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.305 LETRAS <> 2.180.000 VISITAS <> JUNHO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Carta a minha mãe

Domingos Gonçalves da Costa / Pedro Rodrigues
Repertório de Fernando Maurício

Perdoa-me, oh minha mãe
Por ter saído de casa
Sem de ti me despedir;
Gosto dela, sabes bem
A minh'alma ardia em brasa
Então tive de fugir

Somos felizes no mundo
Numa casinha modesta / Onde a vida corre calma
Num quadro d'amor profundo
As nossas almas em festa / Parecem uma só alma

Que mais queres tu, minha mãe
Felizes no nosso ninho /
Esperamos que nos perdoes
Não gostas dela, sei bem
Mas se visses sem carinho /
Tu perdoavas aos dois

Não esqueças que me contaste
Ainda eu era pequenino / A história que mais gostavas
Que o lar materno deixaste
P'ra entregares meu destino / A meu pai que te adorava

Por isso, eu segui o trilho
Da história, com cujo ardor
/ Essa paixão acendeste
Anda, perdoa a teu filho
Que apenas fez por amor
/ O mesmo que tu fizeste