- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ FEVEREIRO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

BARRA DE PESQUISA

O mar fala de ti

Tiago Torres da Silva / Ernesto Leite
Repertório de Mafalda Arnauth

Eu nasci nalgum lugar
Donde se avista o mar tecendo o horizonte
E ouvindo o mar gemer
Nasci como a água a correr da fonte

E eu vivi noutro lugar
Onde se escuta o mar batendo contra o cais
Mas vivi, não sei porquê
Como um barco á mercê dos temporais

Eu sei que o mar não me escolheu
Eu sei que o mar fala de ti
Mas ele que fui eu que te levai ao mar, quando te vi
Eu sei que o mar não me escolheu
Eu sei que o mar fala de ti
Mas ele sabe que fui eu quem dele se perdeu assim que te perdi

Vou morrer nalgum lugar
De onde possa avistar a onda que me tente
A morrer livre e sem pressa
Como um rio que regressa á nascente

Talviz ali seja o lugar
Onde eu possa afirmar que me fiz mais humano
Quando, por perder o pé
Senti que a alma é um oceano