- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Canção de Lisboa *Fado chic*

Luís da Silva Gouveia / Raul Portela / Raul Ferrão
Repertório de Fernando Farinha


Quando o fado era cantado

Pelas tabernas de Alfama
Ninguém diria que o fado

Viesse a ter boa fama

Era a canção da bebedeira e do calão
Da rufiagem e capelão e dos fadistas de samarra
E mal diria a Madragoa e a Mouraria
Que em Lisboa ainda haveria assim tal gosto p’la guitarra

Adeus tardes de toiradas

Com guitarras e cantigas
Adeus noites bem passadas

Com bom vinho e raparigas

Hoje os fadistas são tratados como artistas
E aclamados nas revistas com ovações delirantes
Vestem do bom e por ser chique ser do tom
Já vão á tarde ao Odeon se as matinés são elegantes

Hoje o fado já não tem

A rufiagem por tema
Poliu-se, já é alguém

E até já vai ao cinema

O fado agora é pedido a toda
E ouvido p’lo mundo fora com alegria e agrado
E há-de chegar a Hollyood e ter lugar, pois não se ilude
Quem pensar que há-de ser grande o nosso fado