- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.266.500 VISITAS <> SETEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Fado errado

Frederico de Brito / Mário José Lopes
Repertório de Maria da Fé

Errei porque te amei a vida inteira
Sem nunca deste amor fazer alarde
Agora, ando p'ráqui numa canseira
Pois não encontro maneira
E p'ra te deixar é tarde

Se alguém me perguntar qual foi o erro
Direi, que foi amar-te até mais não
Foi culpa deste amor a que me aferro
Com um erro atraz dum erro
E há já erros sem perdão


Assim que te escolhi... errei
Por querer viver p'ra ti... errei
Calquei esta paixão, esmaguei o coração
E se fiz bem ou não, não sei
Segui o teu olhar... errei
E quando quis voltar... errei
Mas reparei depois, que o erro era dos dois
E foi um erro mais que eu encontrei


Foi erro aquele beijo prolongado
Que fez nascer em nós, ideias loucas
Foi erro termos sempre a nosso lado
O desejo acostumado

Ao calor das nossas bocas

Foi erro aquelas juras que trocamos
Foi erro ainda maior não as quebrar
Depois de tantos erros que emendamos
Afinal ambos erramos
Pois só Deus não sabe errar

- - -

Informação de Francisco Mendes e Daniel Gouveia
Livro *Poetas Populares do Fado-Canção*
Maria da Fé e as suas seguidoras alteram alguns destes versos 
sem se saber as razões. Veja-se:

Errei, porque te amei a vida inteira
Sem nunca deste amor fazer alarde
Agora ando para aqui numa canseira
Pois não encontro a maneira
E p’ra te deixar é tarde
Se alguém me perguntar qual foi o erro
Direi que foi amar-te até mais não
Foi culpa deste amor a que me aferro
Com um erro atrás dum erro
Há já erros sem perdão

Foi erro aquele beijo prolongado
Que fez nascer em nós ideias loucas
Foi erro termos sempre ao nosso lado
Um desejo acostumado
Ao calor das nossas bocas
Foi erro aquelas juras que trocámos
Foi erro ’inda maior não as quebrar
Depois de tantos erros que inventámos
Afinal ambos errámos
Pois só Deus não sabe errar