- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.590 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Por morrer uma andorinha

João da Mata / Frederico de Brito / Francisco Viana *fado vianinha*
Repertório de Carlos do Carmo

Se deixaste de ser minha
Não deixei de ser quem era
Por morrer uma andorinha
Não acaba a primavera

Como vês, não estou mudado /
E nem sequer descontente
Conservo o mesmo presente /
E guardo o mesmo passado
Eu já estava habituado / A que não fosses sincera
Por isso, não fico á espera /
Duma ilusão que eu não tinha
Se deixaste de ser minha
Não deixei de ser quem era

Vivo a vida como dantes /
Não tenho menos nem mais
Os dias passam iguais /
Aos dias que vão distantes
Horas minutos instantes /
Seguem a ordem austera
Ninguém se agarra á quimera /
Do que o destino encaminha
Por morrer uma andorinha
Não acaba a primavera