- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.315 LETRAS <> 2.220.000 VISITAS <> JULHO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Copo meio cheio

Mariza Liz / Mariza Liz / Tiago Pais Dias
Repertório de Marco Rodrigues

Estou tão triste aqui sozinho à espera dela
Com meu jeito meio sem jeito, não liguei
Mas depressa me senti perdido à chuva
Porque nem tentei

Passa o dia, a hora chega e não a vejo
Não aguento mais este bater de coração
Diz-me por favor se a viste, se sabes dela
P’ra acalmar a solidão

Não sei se vou hoje à noite
Nem sei se ela espera por mim
Talvez me digas
Volta p’ra lá… volta p’ra cá 
E diz-me quem lá está
Talvez também eu vá
Volta p’ra lá.. volta p’ra cá
Que um copo já não dá
Se ela não estiver lá


Aprumei-me, pus perfume, o melhor fato
Tudo isto para ver aquele sorriso
Mas não há nenhum sinal
Faltou a rede do meu paraíso