- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.347.000 VISITAS <> NOVEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Versos de amor

Letra e musica de Carlos Paião
Repertório de Dulce Guimarães

Às onze e meia, saiu para a rua
Com o seu fato domingueiro
Dormindo a aldeia, brilhando a lua
Num céu de estrelas, conselheiro

Coração quente, firme e demente
À sua porta então chamou
E abriu-se a janela e só para ela
Triste, cantou

Versos de amor
Lindos esses versos de amor
Que fizera em segredo, a sonhar quase a medo
Um viver tentador
A sua vida por uns versos de amor
Lindos esses versos de amor
Na mais terna amargura o silêncio murmura
Uma história de amor

A noite imensa, foi mais rainha
Quando uma lágrima caiu
Na recompensa, do amor que tinha
Ela também chorou, sorriu

Foi tão bonito, tinham-lhe dito
Que amar às vezes faz doer
Mas a dor que sentia
Não lhe doía, dava prazer