- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.266.500 VISITAS <> SETEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Venham ver Lisboa

Aníbal Nazaré / Mário Silva
Repertório de Hermínia Silva

Se quiserem ver uma cidade que é um altar
Onde a tradição é um motivo de beleza
E onde só se encontram pelas ruas a brincar
Venham a Lisboa e hão-de gostar, tenho a certeza

E não tragam mapas nem roteiros da cidade
Podem visitar Lisboa inteira andando à toa
Porque tudo lêem sem qualquer dificuldade
No olhar sincero deste povo de Lisboa

Venham ver Lisboa
Esta cidade de encantar
Venham ver Lisboa
À luz do sol e do luar
Venham ver Lisboa
E ao regressar desta cidade
Chegam de levar
No coração uma saudade


Ó Lisboa antiga a tradição tem seu lugar
E as recordações espreitam a gente em cada esquina
Na Lisboa nova anda o progresso a passear
Gosta de morar nessa Lisboa inda menina

Oiçam as guitarras a gemer num bairro antigo
Oiçam as fadistas a cantar canções de amor
E vejam o sol que de Lisboa é tão amigo
E faz da cidade um só jardim abrindo em flor