- - - - - - - - - -

- - - - - - - - - -
- - - - - - - - - -

° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.170 LETRAS PUBLICADAS // 2.000.000 VISITAS // DEZEMBRO 2020

Atingido este valor // Que me faz sentir honrado // Continuo, com amor // A ser servidor do fado.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que nao constam do índice.

Caso encontre alguma avise-me, por favor.

Se não encontra o Fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

Lisboa gaivota branca

Mário Martins / António Chaínho
Repertório de António Mourão

Lisboa gaivota branca / Que tem poiso na Ribeira
Faz o ninho no Castelo / Discute na Brasileira

Aos domingos é sereia / Dá-se ao mar em pleno dia
Traz nos cabelos o sal / Em punhados de maresia

Lisboa é corpo de rapariga
De seio erguido, de patriota
É melodia de uma cantiga
Na sombra branca duma gaivota
É aguarela de água do rio
É oceano do mar da palha
Feita de sol nunca tem frio
Sob colinas que se agasalha


Já sem canastra à cabeça / Pôs um turbante de ameias
Fidalga-povo que sabe / Ser mulher e ter ideias

Corpo de rio inquieto / De noite os olhos são prata

Ambição de ser do mundo / Que só no mar se desata