- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.266.500 VISITAS <> SETEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Com quantas forças eu tinha

Rui Rocha / Miguel Rebelo
Repertório de Miguel Rebelo

Sabias que a verdade era só uma
Mentias sem falares de coisa alguma
Fugias quando o amor te perguntava
E a resposta, então, tardava
Por não te sobrar nenhuma

Deixavas numa réstia de sorriso
Um beijo sempre frio e indeciso
O tempo que entregavas era pouco
E eu ficava quase louco
Se partias sem aviso

Amei-te com quantas forças eu tinha
Pensando que eras só minha
Deixaste-me acreditar
Na vida se aprende sofrendo também
E há males que vêm por bem
Mas não deixarei de sonhar

Vivendo neste estranho encantamento
Sentindo transformar-se em desalento
Dorido, porque o amor se quer presente
Sofrido por estar ausente
Num coração desatento

Partiste mais feliz do que chegaste
Pedi-te, mesmo assim tu não ficaste
O tempo que era pouco e infeliz
Agora é ele que me diz
Felizmente não voltaste