- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.305 LETRAS <> 2.180.000 VISITAS <> JUNHO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

A vida por ti

Letra e música de Angelo Freire
Repertório de Sandra Correia 

A vida é como a escada em caracol
Que dá voltas e voltas e não cansa
A vida não é mais que um girassol
Que ao sol nega o olhar duma lembrança

Não sei como é viver sem teu viver
No limite do céu, o teu olhar
Me faz compreender o teu sofrer
E ter esta vontade de te amar

Palavras que ao mar eu entreguei
Palavras que dei pra te encontrar
Palavras que ao meu coração neguei
Deixando o meu silêncio ao acordar;
Palavras que ao mar eu entreguei
Num porto distante ao acordar
Perdoa, meu amor, porque sonhei
O sonho de não querer mais acordar

Distância que me aperta o coração
Aperto que me afunda num vazio
Vazio que é apenas ilusão
Do amor que a pouco e pouco me é tardio

Confio a minha vida ao teu caminho
Nos caminhos traçados pela mão
Confia a tua vida ao meu carinho
O aperto que me afunda o coração