- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Chiado antigo

Tema gravado por Salvador Taborda com o título 
*Sonata do Chiado antigo*
César de Oliveira / Thilo Krasman
Repertório de José da Câmara 

Pelos ferros forjados da janela
Vejo tremer a renda de franzir
E o sinal dessa rosa amarela, meu amor
Dizendo; vou sair
Gritando; vou sair

Vou esperar-te mesmo em frente da Havaneza
Fingimos que o encontro aconteceu
E levo concerteza, concerteza, outra flor
Dizendo; cá estou eu
Gritando; cá estou eu

Velho Chiado enamorado
Ai… quanto amor ali nasceu e morreu
Velho Chiado vejo-me ao espelho
Quem está mais velho?
Serás tu ou eu?

Fomos comer pãezinhos de erva-doce
Ouvindo o choro alegre dum violino
E tinhas no olhar fosse o que fosse, meu amor
Mais doce que os pãezinhos
Mais doce que os pãezinhos

Subimos a correr, Chiado acima
Coraste de prazer e d’emoção
Paraste e perfumaste a Lúcia-lima, meu amor
E nessa noite então, pedi a tua mão