- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

É Lisboa a namorar

Rosa Lobato Faria / Mário Pacheco
Repertório de Cuca Roseta

Cortesã das minhas noites / Donzela do sol a pino
Miúda a pedir açoites / Mulher do meu desatino

Menina das Amoreiras / Peixeira da beira-mar
Todas são namoradeiras / É Lisboa a namorar

Ai Lisboa quem pudesse
Ser a proa da fragata
Que rasga quando anoitece
O seu vestido de prata
Afagar com dedos brandos
Como beijos na maré
A tua boca de morangos
Vendida no Cais Sodré

A primeira mostra o peito / A segunda a roupa branca
A terceira sem defeito / A quarta rebola a anca

Há Lisboa em todas elas / A mostrarem cada uma
As rendinhas amarelas / Do seu saiote de espuma