- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.347.000 VISITAS <> NOVEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Lisboa cheia de luz

Letra e musica de Vitor manuel Rodrigues
Repertório de Ada de Castro


Canta ó povo, a tua história
Vive e sente a tradição
Sempre cresce a tua glória
Há sempre mais um balão

A fama das tuas graças
Bem longe se faz sentir
E nas ruas quando passas
Deixas o povo a sorrir

Lisboa agora tão cheia de luz
É mais do que outrora, sonho que seduz
E p'las vielas a ouvir cantigas
Florindo as janelas, há mais raparigas
Lisboa agora enorme e moderna
Igual se enamora com paixão eterna
Há mais amor, há mais corações
Mais beleza e cor nas suas tradições

Nas praças, nas escadinhas
Há vasos com manjericos
Cravos rubros e sardinhas
Fungágá e bailaricos

Santo António tem lugar
P'ra São Pedro e São João
Seja onde for o altar
Há um arco e um balão