- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.570 LETRAS PUBLICADAS <> 2.630.000 VISITAS < > NOVEMBRO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Deixai meu povo cantar

José Luís Gordo / Paulo Valentim / Arranjo: Carlos Azevedo
Intérprete: Maria da Fé


Não quero silêncios menos
Nem gritos de alvoraçar
Quero uma cama de fenos
Para meu povo deitar

Não quero gente com fome / Nem frios rasgando o lar
Ó gente que tudo come / Deixai meu povo cantar

Águas que caiem do céu / Sonhando terra alcançar
Ó noivas, rasguem o véu / Deixai meu povo cantar

Cansados de sermos todos / Bordados de tanto mar
Lavamos todos os lodos / Deixai meu povo cantar

Correm os ventos vadios / Não sabem onde parar
Ó capitães dos navios / Deixai meu povo cantar