- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.360 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Diz se me conheces

Carlos Barrela / Mário Pacheco
Repertório de Nuno da Camara Pereira

Diz se me conheces, meu cansado espelho
Rio Tejo tão velho quando a noite desce
Diz se me conheces no caudal das águas
Cantando estas mágoas que o amor me tece

Diz se me conheces
Diz se me conheces

Diz se me conheces, rápido cavalo
Das campinas bravas onde cavalguei
Diz se me conheces quando há no meu fado
Palavras amargas que da vida herdei

Diz se me conheces, português trigueiro
Falso aventureiro que o sol envelhece
Diz se me conheces, menina das tranças
Que quando criança, mil beijos me déste

Diz se me conheces, meu país saudade
Que lavas a aurora com o nevoeiro
Diz se me conheces, ó minha cidade
Se ainda namoras comigo primeiro