- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.525 LETRAS PUBLICADAS <> 2.552.800 VISITAS < > AGOSTO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Fado em cinco estilos

Silva Tavares / Popular *arr. Maria Teresa de Noronha* 
Repertório de Maria Teresa de Noronha 

Eu quero bem aos teus olhos 
Mas muito mais quero aos meus 
Pois se perdesse meus olhos 
Não podia ver os teus 

Se eu de saudades morrer / Apalpa meu coração 
Talvez eu torne a viver / Ao calor da tua mão 

Se os meus olhos te incomodam / Quando estão na tua frente 
Eu prometo arrancá-los / E amar-te cegamente 

Gosto de cantar o fado / Acho que o fado tem raça 
E que não foi só criado / Para cantar a desgraça

Se tenho medo da morte / Não tanto como supões
Tenho mais medo da vida E das suas ilusões