- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.515 LETRAS PUBLICADAS <> 2.552.800 VISITAS < > AGOSTO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Com amigos como estes

Letra e música de Paulo de Carvalho
Repertório de Paulo de Carvalho

A palmadinha de amigo nas costas / O sorrisinho p’la frente
Por trás as bocas foleiras, já gastas / Mas são todos boa gente


Não frequento as cantigas da moda / Nem grupos de opinião
Quem está in, incomoda / Quem está out, é que não

Desculpem lá por qualquer coisinha / Mas isto também é fado
Até os grandes parecem gentinha / Mas eu vou bem, obrigado


Entre a cerveja e a passa e o gozo / Criticotar não tem regras
Estás armado em mete nojo / Cantas bem mas não me alegras

Com amigos como estes
Não preciso de inimigos


E digo, é a ultima vez / Que me prendo a coisas beras
Recado de um português / Que se vê lançado ás feras


Ai minha gente, minha grande dor / Nós somos todos o fado
Um abraço com amor / Adeusinho e obrigado