- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Estranha lua

Mário Raínho / Ricardo Cruz
Repertório de Marco Rodrigues 

Que estranha é esta lua
Tão cheia como um ventre
Senhora das marés
Da noite feiticeira?
Que estranha é esta lua
Suspensa e de repente
Desmaiada a meus pés
Com clarões de fogueira?

Que estranha é esta lua que se mostra à cidade
Despida sem pudor, em quartos minguantes?
Que estranha é esta lua, mulher corpo à vontade
Num convite d'amor à noite dos amantes?

Que estranha é esta lua que dum quarto crescente
Em fases se renova, com gestos de bailado?
Que estranha é esta lua, do ventre do poente
Nascida lua nova, candeia do meu fado?

Às vezes reconheço que há lágrimas de lume
Rasgando o meu olhar, quando te vejo nua
Assim, quase adoeço no peito este ciúme
E a voz quer-me gritar, que estanha é esta lua!