- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Fado Beatriz da Conceição

Tributo de: Fernando Campos de Castro

DEI-TE UM NOME EM MINHA CAMA
E nunca mais esqueci 
O calor daquela chama
Que hora a hora inflama
A VIDA QUE SOFRO EM TI

Em PÃO DE GESTOS cantava
PRECISO DE TE OUVIR A VOZ
E em cada verso sonhava
Que no teu corpo ancorava
MEU CORPO rio sem foz


É um fado sobre fados que te canto
Meu amor, minha ansiedade desmedida
É um fado sobre os fados do meu pranto
Que te canto meu amor da minha vida

VOLTASTE agora à procura
Dos beijos que dei aos molhos
Com palavras de ternura
Já saudoso da loucura
D’AS MENINAS DOS MEUS OLHOS

Nas sombras que a NOITE inventa
DESTE-ME UM BEIJO E VIVI
Como estrela que alimenta
MINHA ALMA DE AMOR SEDENTA
Sedenta de amor por ti