- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Cantando pela cidade

Manuel Carvalho / Raul Pereira *fado zé grande*
Repertório de  António Passos

Andei a passear pela cidade
Por essas ruas tão do meu agrado
Levado p’la mão duma saudade
Que me guia sempre para o fado

Fui ao “São Nicolau” e à “Lareira”
Do “Veleiro” saltei à “Taberninha”
Passei p’la “Mãe preta” na Ribeira
P’ra comer uma isca tostadinha

Depois de me benzer lá nas “Alminhas”
Subi os “Guindais” duma assentada
Comprei recordações nas “Fontainhas”
No “Louro” ainda paguei uma rodada

Cantei no “Fafe” e fui ovacionado
E o “Zé Grande” cantei lá no “Repuxo”
Corri minha cidade mais o fado
Só não cantei nessas casas de luxo