- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As tuas promessas

Artur Ribeiro / José Maria Antunes
Repertório de Lenita Gentil

Podes mentir ou verdade falar
Podes sorrir de eu não acreditar
Podes fingir que és capaz de cumprir
Essa tua promessa
Podes, enfim, só verdade falar
E até de mim com loucura gostar
Que mesmo assim continuo a pensar
Que esse amor é conversa

Não, não creio em ti, por mais que peças
Nem posso acreditar nas tuas promessas
Sei que num momento de loucura
A gente às vezes rejura
O que não volta a lembrar

Mesmo que tentes, já vês, nada consegues
Se é que não sentes amor, porque me segues?
Não, não creio em ti por mais que peças
Nem posso acreditar nas tuas promessas

Mas, se acaso gostas como dizes
Não mintas mais amor
E seremos felizes