- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.310.000 VISITAS <> OUTUBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Madalena

Letra e música de Marques de Carvalho
Repertório de Tristão da Silva

Madalena, a formosa pecadora
Arrependida, foi pedir perdão a Deus
E sem pena dessa vida sedutora
Resolveu mudar de vida
E olhar de frente os céus
E o amor transformou-se em devoção
Pois
sorrindo, o redentor
Concedeu-lhe o seu perdão

Agora o sol é d'oiro

A lua é fantasia
A vida é tesoiro de alegria
E Cristo murmurou
Talvez com certa pena
Quem foi que não pecou, ó Madanela


Meu Jesus: assim falou Madalena
Sou tão ditosa, sinto tal felicidade
Que da luz dos meus olhos em  berbena
Vejo a vida cor de rosa
Tudo no mundo é verdade
Se pequei e vivi na perdição
P'lo teu amor me salvei
Acordei a redenção