- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Porto-Porto

João Gigante Ferreira / Samuel Cabral
Repertório de Helena Sarmento
                                                                             
Mergulhadas ao contrário
Aguarela na corrente
Pelo Douro as cores das casas
A cidade e o seu cenário
As janelas querem gente
Como os sonhos querem asas

No reflexo da Ribeira
Vão as nuvens pelo chão / Nada o Duque no seu seio
Os rabelos vão nas vistas
Amarrados aos turistas / As gaivotas de permeio

Sendo outras são as mesmas
As gaivotas e o seu grito / Noutro vento a mesma dança
Pelo Douro desce o tempo
Nossos olhos ao relento / Vão mudando na mudança

No granito do teu peito
Bate um rio-coração / Doces vagas, tempestade
Deste Porto fiz meu porto
A caminho do teu corpo /
Pelo norte da vontade

No meu sonho livres rotas
Como asas de ninguém / Ná quem diga que exagero
Troco ouro por gaivotas
Por tão pouco há logo quem / Diga que é porque te quero