- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Em tudo na vida há fado

Letra e musica de António Alvarinho
Repertório do grupo Al Mouraria

Em tudo na vida há fado / Embora diga que não
Fado é destino marcado / Fado está escrito na mão

É jura d’amor, sentida / Ódios, ciúmes fatais
Com tanto fado na vida / Não há dois fados iguais

Sentir a falta de alguém... é fado
Beijar a face da mãe... é fado
Estar teso e não ter vintém... é fado
Não dever nada a ninguém... é fado
Cantar com amor p’ra vocês... é fado
Ter algo no fim do mês / é fado
Chegar a casa cansado
Deitar-se p’ro lado e a mulher a ver
E nada poder fazer... é fado
Ter na mesa um bom cozido, prato preferido
E não poder comer
O que é que se há-de dizer... é fado

Ninguém sabe donde vem / Ninguém sabe onde está
As voltas que a vida tem / As voltas que o fado dá

O fado a um é passado / A fado a dois é saudade
E p’ra mostrar que é verdade / Cantem comigo este fado