- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.360 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Cabeça de vento

João Linhares Barbosa / Armando Machado *bolero do machado*
Repertório de Amália

Lisboa se amas o Tejo
Como não amas ninguém
Perdoa num longo beijo
Os caprichos que ele tem

Faço o mesmo ao meu amor / Quando aparece zangado
Para acalmar-lhe o furor / Num beijo canto-lhe o fado

E vejo todo o bem que ele me quer
Precisas de aprender a ser mulher

Tu também és rapariga / Tu também és cantadeira
Vale mais uma cantiga / Cantada à tua maneira...
Que andarem os dois á uma / Nesse quebrar de cabeça
Que lindo enxoval de espuma / Ele traz quando regressa

À noite é de prata o seu lençol
De dia veste o pijama de Sol
Violento mas fiel / Sempre a arrojar-se aos teus pés
Meu amor é como ele / Tem más e boas marés

Minha cabeça de vento
Deixa-o lá ser ciumento