- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.360 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Duas lágrimas de orvalho

Linhares Barbosa / Pedro Rodrigues
Repertório de Carlos do Carmo

Duas lágrimas de orvalho
Caíram nas minhas mãos
Quando te afaguei o rosto;
Pobre de mim, pouco valho
P'ra te acudir na desgraça
P'ra te valer no desgosto

Porque choras não me dizes
Não é preciso dizê-lo / Não dizes, eu adivinho
Os amantes infelizes
Deveriam ter coragem / Para mudar de caminho

Por amor, damos a alma
Damos corpo, damos tudo / Até cansarmos na jornada
Mas quando a vida se acalma
O que era amor, é saudade / E a vida já não é nada

Se estás a tempo, recua
Amordaça o coração / Mata o passado e sorri
Mas se não estás, continua
Disse-isto minha mãe / Ao ver-me chorar por ti

- - - 
Segundo consegui apurar, no 5° verso da última estrofe onde se canta
"Disse-isto minha mãe" deveria cantar-se *disse-me a voz da razão"

Faz todo o sentido para que a rima da sextilha esteja certa, ou seja: 

o 2° verso a rimar com o 5°