- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.350 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

A marcha da Bica

Frederico de Brito / Alves Coelho
Repertório de Fernando Farinha


Hoje a marcha sai, mas que reinação
Vem o bairro inteiro que eu já sei
Olha como vai cá o meu balão
Belo companheiro que arranjei

Quando a Bica tem que mostrar quem é
Tem sempre alegria até ao fim
À rua não vem quem lhe bata o pé
Onde ela chegar é sempre assim

Que rica que vai a Bica
Vai com tal graça e
tem um certo não sei quê
Que linda que ela é ainda
Por onde passa a
té alegra quem a vê
Lisboa, hoje enfeitou-a
Fez dela agora um arraial de amor e fé
Foi posta naquela encosta
Só quem lá mora é que conhece o que ela é


Rosas aos montões, arcos e balões
Ai como ela ficou, ai Jesus
Eu ia apostar que o próprio luar
Até cá na Bica tem mais luz

Quem tem mal d'amor, seja lá qual for
Vá até á Bica devagar
Mas cuidado sim, que a Bica é assim
Pode qualquer dia lá ficar