- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.305 LETRAS <> 2.180.000 VISITAS <> JUNHO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Bandeira azul e branca

Letra e mússica de Vitor Rodrigues
Repertório de António Pelarigo

Pelos soldados que tombaram a lutar
Por uma terra que qu’riam unificada
Aos marinheiros que não temeram o mar
Levando mais além a Pátria amada

Pela espada de Afonso, que desbravou
Os caminhos mais sagrados do ideal
Pela bandeira que o povo se enamorou
Que tinha as cores dos céus de Portugal

Por sentimentos que enaltecem a razão
Por cumprimento do dever e lealdade
Contra aqueles que dividem a nação
Canto o passado, por amor e por saudade

Bandeira azul e branca que encantas
Como é belo te ver a desfraldar
Nas ameias do castelo que era altar
Onde o rei ia rezar perante Deus;
Bandeira azul e branca que encantas sonhos meus