- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.315 LETRAS <> 2.220.000 VISITAS <> JULHO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Ser fadista

Júlio Vieitas / José Marques *fado triplicado*
Repertório de Mário Rocha

Porque canto e sei sentir
Quero expandir, definir
Este meu ponto de vista
Não é fadista quem quer
Ter o prazer em aprender
Mas sim quem nasceu fadista

Os cantadores do passado
Que no fado deram brado / Tinham valor, tinham garra
Cantavam com devoção
Com vibração no coração / Ao trinar duma guitarra

Manuel da Mota, o Ginguinhas
Os Vianinhas, o Quintinhas / E os que mais não sei esquecer
Eram fadistas de gema
Tinham por tema este lema / Antes quebrar que torcer

Outros mais tarde apareceram
Que venceram e fizeram / Do fado honroso caminho
Não esquecendo a primazia
Da magia que imprimia / Na guitarra, o Armandinho

De tudo que se cantou
Que se passou e se adorou / Nesses bons tempos vividos
Só nos ficou por herança
Uma lembrança que alcança / Saudades dos tempos idos