- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.315 LETRAS <> 2.220.000 VISITAS <> JULHO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

De voz em voz

Paulo de Carvalho / António Avelar de Pinho
Repertório de Paulo de Carvalho

Há uma voz tão bonita de criança
Cheia de luz, trazendo um novo som
Uma segunda faz a letra que é de esperança
E partem juntas a cantar no mesmo tom

Cantar com elas, vai também uma terceira
Mais uma quarta e uma quinta em harmonia
E pouco a pouco, muitas mais como a primeira
Escrevem no céu o seu poema de alegria

Uma canção
Que vai de voz em voz
De lés a lés, semente de amizade
Uma criança

A brincar dentro de nós
De voz em voz até à foz da claridade

Há uma vila, uma cidade, há uma aldeia
Nesta canção tornada rio transparente
É como a chuva desejada que incendeia
A terra boa, coração da nossa gente

São muitas vozes, mas nunca são demais
Quando a canção que cantam é d'esperança
E devagar, de voz em voz, vão outras mais
Escrever no céu mais um poema de criança