- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.360 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Clara identidade

Sílvia Filipe / Armando Machado *fado maria rita*
Repertório de Silvia Filipe

Meus sonhos são a morada
De alegres corpos dançando
Ao som da harpa e da lira;
Melodia improvisada
Onde os anjos vão cantando
A canção desconhecida

Dança sem qualquer compasso
Uma estranha harmonia / Nestes vales verdejantes
Não há solidão, cansaço
Tudo é pura poesia / Em paisagens cintilantes

Há vastos campos floridos
Envoltos num manto d'água / Onde a sede não existe
Embalando meus sentidos
Não há dor, não há mágoa / No meu sonho o amor resiste

Aqui vivem meus desejos
Despertos p'la luz divina / Num encontro com a verdade
São perfeitos como beijos
Água pura e cristalina / Numa clara identidade

Aqui vivem meus desejos
Despertos p'la luz divina / Num encontro com a verdade
São perfeitos como beijos
Água pura e cristalina / Numa clara identidade