- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Aí vem o Natal

Carlos Conde / Alfredo Duarte *fado cuf*
Repertório de Alfredo Duarte Júnior


Aí vem o Natal, de tão velhinho
Traz uns trémulos passos de incerteza
É preciso ampará-lo com carinho
E dar-lhe um lugar de honra á nossa mesa

Aí vem o Natal de sonhos ledos
Dos sonhos que se sonham acordados
Traz um saco cheiinho de brinquedos
Modernos, sugestivos, engraçados

Um ror de peças, tanques, aviões
Miniaturas de espadas e de lanças
Máscaras, espingardas e canhões
Enfim... toda a alegria das crianças

Seria bom no entanto, que o Natal
Ás lutas dos miúdos désse fim
Nanja que dessas guerras venha o mal
Mas as zangas começam sempre assim

Aí vem o Natal, um velho ufano
Que espalha pelo mundo os seus engodos
Deus queira que ele venha para o ano
Com bandeirinhas brancas para todos