- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.305 LETRAS <> 2.180.000 VISITAS <> JUNHO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Meu testamento

José Guimarães / Nel Garcia
Repertório de Fernando João

Vou deixar ao mundo todo o meu amor
Desejo profundo de um mundo melhor


A cantar, meu testamento vou fazer
P’ra que depois de eu morrer f
açam a minha vontade
Às crianças vou deixar a minha esperança
Porque vejo nas crianças a ternura e a verdade

Minha voz, ao meu país eu vou deixar
Para o meu povo cantar o que tem dentro de si

Vou deixar áquele amor que eu inventei
O beijo que nunca dei, a ternura que escondi

Vou deixar ao mundo todo o meu amor
Desejo profundo de um mundo melhor


A ti mãe, vou deixar o coração
P’ra nele veres a razão do grande amor que te dei

Vou deixar aos meus amigos, a verdade
Para dizer da amizade que neles não encontrei

Vou deixar minhas canções às raparigas
Para que dessas cantigas façam armas a seu jeito

Para os jovens, meu respeito vai ficar
Para que saibam olhar a velhice com respeito

Vou deixar ao mundo todo o meu amor
Desejo profundo de um mundo melhor


E aos homens, com amizade
Eu que nunca fui feliz
Vou deixar felicidade